Mario Sergio Cortella conversa com Danilo Gentili

Palestrante, filósofo, professor e escritor, Mario Sergio Cortella é o convidado de Danilo Gentili nesta quarta (06). Com mais de 2 milhões de inscritos no YouTube, ele fala sobre sua palestra mais recente: “Se Você Não Existisse, Que Falta Faria?”. A respeito da mesma, afirma: “se você não fizesse falta, não estaria buscando continuar… Eu quero fazer falta. No dia que eu me for, quero que você e outras pessoas digam ‘o Cortella faz falta’. Isto é, ele não estando aqui, temos que ter a presença da ausência dele…. Todas as pessoas na sua vida, como na minha, que fazem falta, são aquelas em que a ausência está presente”. 

Observando a caracterização de Diguinho em uma tentativa de imitá-lo, fala não se sentir ofendido por ver imitações suas e diz: “é sempre um agrado, um afago. Uma coisa é o risível, como agora, e a outra é o ridículo”. Comentando os apelidos que recebe, conta: “alguns me chamam de portela, costela. Mário Sérgio de Marcelo, Mauro Sérgio. Eu não corrijo, jamais, para que eu vou destruir o afago? Jamais”. 

Danilo cita a barba do convidado e ele conta: “não a retiro, desde 1977. Ficaria estranho para mim mesmo. É toda uma imagem que a barba compõe”. Avaliando se a mesma confere maior credibilidade, fala: “o Brasil tem grandes pessoas que se dedicam à filosofia e que, não necessariamente, são portadores de barba… Barba limpa não é sinal de cabeça limpa. Assim como o uso de barba não dá inteligência”.  

Com presença marcante nas redes sociais, comemora: “hoje, somando, são 16 milhões de seguidores…. É expressivo e essas redes fizeram uma amplificação da minha presença…. Tomei como tarefa – aprazível, gostosa – fazer com que a filosofia pudesse ser mais divulgada. Sem ser simplória, sem ser colocado estritamente no que se chama autoajuda, mas sem deixar de ajudar as pessoas e de me ajudar no que compreendo como minha tarefa”.  

VEJA TAMBÉM

Publicidade:
Publicidade:
Publicidade:
Publicidade: