Valesca Popozuda faz um longo desabafo sobre o caos da Pandemia no Brasil

A cantora disse estar sendo prejudicada pela pandemia por estar levando a sério a quarentena e muitos não estão fazendo o isolamento correto:"Estou a 100 dias sem trabalhar, sou autônoma como muitos! Minha empresa sou eu!"
Valesca Popozuda (Foto: Reprodução/ Instagram)

Nesta quarta-feira (24), a cantora Valesca Popozuda fez um longo desabafo sobre o caos que estamos vivendo no Brasil em relação ao grande número de mortos por Covid-19 e também por estar sendo prejudicada pela pandemia: “Estou a 100 dias sem trabalhar, sou autônoma como muitos! Minha empresa sou eu! Meu setor é um dos mais prejudicados, diferente de alguns colegas de trabalho, eu não tenho empresa para financiar Live e me pagar por isso, continuo sem furar o isolamento.” Reclamou Valesca.

A Funkeira disse estar triste em ver grandes artistas ganhando muito dinheiro com Live Show, aglomerando pessoas, quase como uma festa de blogueiras, furando a quarentena e não ajudam às pessoas que vivem da arte: “As grandes empresas ou até mesmo os grandes artistas poderiam também dar a chance e patrocinar Live dos outros artistas, não estou nem falando só de mim, temos atores de teatro parados, temos músicos, temos carregadores de equipamentos, produtores, está todo mundo parado.” Revoltou-se a cantora.

Fazem Lives que aglomeram tanto quanto uma social de blogueira, já vi artistas masculinos furando a quarentena,  fazendo procedimentos desnecessários, mas só as mulheres são canceladas”

Valesca Popozuda

Valesca acha que esses artistas que estao ganhando muito dinheiro com Lives, deveriam dividir bloquinhos de 1000 reais para distribuir para trabalhadores que estão parados em casa: Seria bem legal pegar 100 mil reais desses artistas que estão com a conta gordinha e distribuir pra galera que está em casa, como artistas, aquela diarista que tem filho, aquele motorista que tá parado ou o vendedor ambulante da praia.” Sugere.

Valesca Popozuda (Foto: Reprodução/ Instagram)

A cantora acredita que o Brasil só voltará ao “normal” quando 90% das pessoas tomarem a vacina. Enquanto isso não acontecer muitos irão morrer por estarem furando a quarentena e por tratarem o vírus apenas como uma “gripezinha”: “Eu sigo aqui de casa, olho todo o dia o jornal na esperança que a vacina seja logo lançada, até porque aqui no Brasil já era. Infelizmente não soubemos fazer o isolamento, o vírus matou mais de 50.000 e não temos um plano efetivo que funcione. O mundo tá isolando a gente. Estamos sendo proibidos de ir para outros países, eu estou morrendo de vergonha nesse exato momento por que o único país que não faz praticamente nada é o nosso, apenas 13% está o fazendo o isolamento correto. E eu estou aqui, tentando ser positiva o máximo que que posso.” Desabafou Valesca.

Estou chorando, não queria admitir! Eu vim aqui desabafar porque não queria chorar mas eu estou chorando, e não é por falta de dinheiro, de shows, não é isso! É porque passamos de 50.000 mortos e vários lugares estão reabrindo como se tudo estivesse normal. Não está normal!’

Valesca Popozuda
Valesca Popozuda (Foto: Reprodução/ Instagram)

VEJA TAMBÉM

Publicidade:
Publicidade:
27 Anos de idade que @marinaruybarbosa está completando hoje. #marinaruybarbosa
Publicidade:
Publicidade: